Linkdin RSS Feed

você me roubou a inspiração

4 de julho de 2013 por Laís

1040291_10151727303845336_1460577853_o

você  nunca escolhe o bar onde a gente vai sair. você nunca deixa o som tocar. você nunca me encontra nos lugares que a gente marca. você  sempre tá atrasado. sempre. você sempre prioriza a cerveja e o cigarro. você  nunca tá arrumado. sempre com um moletom gostoso e uma calça jeans surrada. você sempre deixa a toalha em cima da cama. você  nunca abaixa a porra da tampa da privada. você  nunca lava a louça. você  nunca arruma a cama. você  sempre se esquece de estender a roupa. você nunca lembra qual é a minha música preferida. você sempre entra em casa de sapatos sujos. você sempre fica vidrado no seu trabalho e vai dormir quando eu tô acordando. você  deixa a casa fedendo lucky strike azul. você  sempre pede cinco minutos. cinco minutos que nunca são só cinco minutos. você sempre quer ficar mais quando eu já quero ir embora. você sempre quer que eu te abrace quando eu é que quero ser conchada. você sempre quer carne e eu salada. você sempre quer filmes do Rambo e eu do Godard. você sempre quer foder quando eu tô morta de cansada. você sempre quer cerveja e bar quando eu só quero cinema e casa. você  me deixa louca. com latas espalhadas pela casa, roupa suja e etc e tal. você sempre me pergunta o que estou escrevendo antes de eu terminar. você me roubou a inspiração.

você  vai até a farmácia às 3 da manhã pra me comprar remédio contra cólica, dor de ouvido ou qualquer mazela que atormenta minha vida. você  sempre está disposto a ir me buscar em qualquer lugar, em qualquer parte da cidade, onde quer que eu esteja. você  dá beijinhos na minha nunca só pra eu dormir melhor, você, mesmo sem capacete, me leva na garupa e toma multa pra que eu chegue logo em casa. você  senta do meu lado pra me fazer carinho. você  vai buscar velho barreiro no mercado porque sabe que tem dia que eu não posso dormir sóbria. você  me cobre e me dá sua blusa quando eu tô com frio (e eu sempre tô com frio). você  pensa em práticas sexuais não muito convencionais só porque minha imaginação é fértil. porque você  faria qualquer coisa só pra me ver gozar. você  vai a shows de bandas que nunca ouviu falar ou que acha uma merda só porque eu adoro festivais. você  fica aguentando mina derrubando cerveja nas suas costas e caras pisando o seu pé só porque sabe que eu quero estar na frente do palco. você  dobra as toalhas porque sabe que eu odeio coisa amassada. você  compra marlboro light só porque odeio lucky strike. você  compra lasanha do tipo quatro queijos, sendo que você  queria bolonhesa, só porque eu sou vegetariana.

mas não se engane. você  não é minha cara metade. você  não é meu par perfeito. você  não me completa. você  não me traz plenitude emocional. você  não me preenche, você  me trasborda. sempre. nunca um copo meio vazio. porque, por mais que sejamos dois desgraçados sem rumo, a falta de um timão nos une. estamos juntos nesse mar de perdição. você é meu sinal de sos. minha âncora. meu porto seguro. por mais perdidos que estejamos você é minha bússola. meu sinalizador. quando me sinto perdida nessa selva de pedras vejo a resposta no seus olhos verdes marejados. eu não tenho nada, você  não tem nada, mas a gente se pertence. e é nessas horas que eu não sinto vontade, eu não tenho razão, pra te cobrar nada. porque o que eu te condeno me salva. porque o que, aparentemente, me incomoda é a mesma coisa que me tira da monotonia. porque qualquer aborrecimento que você me causa é ínfimo perto das alegrias que você me traz. porque eu não quero te mudar. te quero assim. defeituoso. mas cujos defeitos te fazem uma pessoa mais bonita e mais sincera. e não importa o que os comerciais de margarina digam. você é imperfeito, assim como eu. e suas imperfeições te tornam mais bonito e mais real. te tornam o que eu quero pra mim. porque você me roubou a inspiração. é que antes de você chegar eu só sabia escrever sobre a dor. confesso que me causou certo estranhamento aprender a lidar com o amor. é o medo de soar piegas. é o medo de soar, simplesmente, feliz.